Entrevistas

Duda Neves repassa seus respeitáveis 50 anos de bateria em entrevista exclusiva

Duda Neves

O baterista Dudu Neves da uma entrevista para o Portal Line Rockers falando um pouco sobre sua paixão pela bateria, sua trajetória e projetos.

Foto Luana Mascari

Duda Neves: “A Música ajuda na formação da inteligência das crianças trazendo muitos benefícios e acredito que cada vez mais será valorizada como elemento fundamental na vida do ser humano.”

Considerado por revistas de Jazz internacionais como um dos Melhores Bateristas do Mundo no gênero, Duda Neves já trabalhou em shows no Brasil e exterior ao lado de grandes nomes da música, entre eles: Fábio Jr., Eduardo Araújo e Silvinha, Wanderleia, Jorge Benjor, Tim Maia, Elza Soares, Edu Lobo, Simone, Belchior e Arrigo Barnabé, Charlie Rouse, Don Salvador, Nana Vasconcelos, Raul de Souza, Guilherme Vergueiro e Márcio Montarroyos e Nico Assumpção.

Na carreira solo, são 3 cds gravados: “Crash” (95), “Temporal” (2000) e “Erupção” (2002), e dois lps: “Urucum” (90) e “Tempo Bom” (92).

Trabalhos solos de Duda Neves

Trabalhos solos de Duda Neves

Sete vídeo aulas lançados desde 1990: “Bateria Total”, “Ritmos Brasileiros”, “Rock & Blues”, “Reggae e Rap”, “Uma Hora de Técnica para Bateria”, “Esquizofônico”, “Aprenda Bateria em 10 Minutos”, e métodos de bateria usados em centenas de Escolas de Música no Brasil, voltados para a educação musical.

Escreveu matérias para revistas de música ( Modern Drummer, Backstage, Batera e Música e Tecnologia), fez direção musical para teatro (Aladim e a Lâmpada Maravilhosa de Carlos Meceni Mambembe 1975, e Happy End de Brecht e Weill com o grupo Pessoal do Despertar), cria jingles publicitários e fez a direção musical do seriado da TV Cultura “São e Salvos”.

Dá aulas de bateria, percussão, coral e musicalização infantil na ONG Instituto Verdescola, com mais de 400 alunos.

Dirige e leciona na Escola de Bateria Duda Neves, em São Paulo.

Modern Drummer | Duda Neves

Modern Drummer | Duda Neves

Confira a entrevista com o baterista Duda Neves

Como surgiu a música na sua vida?
Duda Neves: Minha família sempre esteve ligada a Música. Minha mãe tocava violão e cantava, e meu pai tocava piano, pois era tradição antigamente ter a Música como elemento presente na vida das pessoas. Com 8 anos, ganhei um violão e passei a me interessar pelo piano também, tendo com meus irmãos um grupo musical, e também com os amiguinhos da turma do bairro. Era a década de 60, onde tínhamos o surgimento dos Beatles, Stones, Bossa Nova e a Jovem Guarda.

Sua paixão pela bateria se deu início quando? E porque?
Duda Neves: Nesse contexto, com 11 anos de idade, tinha um amigo, Benedito Carlos, que tinha uma bateria e foi paixão a primeira vista. Benê mudou de bairro e ficou aquele vácuo. Fiquei encantado com o instrumento e fiz de tudo para conseguir um. Lavei carro, limpei jardim, fiz uma “vaquinha” com meus pais, tios e padrinhos até que, no dia 29 de Junho de 1966, chegou em casa uma bateria Gope, madrepérola azul. Um dia super especial que jamais esquecerei.

Quais bateristas te influenciaram? E quais os seus preferidos?
Duda Neves: No início fiquei encantado com o baterista dos Incríveis, o Netinho. Via pela televisão os programas de Música e ficava ali, curtindo e tentando tocar o que ele fazia. Na época, Ringo Starr, dos Beatles, teve também muita influência na minha formação já que nossa turminha curtia muito as músicas que eram sucesso na época. Tirávamos tudo de ouvido e tocávamos nas domingueiras do Clube Anhembi em São Paulo, onde plantamos uma boa base para nossas carreiras.

Tocou bateria, já sou fã. Cronologicamente, os bateristas que me influenciaram e que são meus preferidos: Netinho, Ringo Starr, Charlie Watts, Rubinho Barsotti, meu professor, baterista do Zimbo Trio, Ian Paice, John Bonham, e depois a fase do Jazz Rock com Buddy Rich, Max Roach, Art Blakey, Tony Williams, Elvin Jones, Billy Cobham, Steve Gadd, Dave Weckl, Dennis Chambers, Tony Royster Jr, Eric Moore, os brasileiros Edson Machado, Milton Banana, Airto Moreira e Robertinho Silva.

Duda Neves com Netinho

Duda Neves com Netinho

Qual é o processo de aprendizagem? Qual a habilidade mais importante para um baterista?
Duda Neves: Aprender a tocar Bateria ou qualquer outro instrumento musical requer disciplina, determinação e muito estudo. Você tem que estar informado e ter como meta evoluir tecnicamente e, musicalmente. Tive na vida a oportunidade de começar tocando o que era simples e acompanhar a evolução da Música, por exemplo, dos Beatles a Mahavishnu Orquestra, com arranjos e composições até hoje arrojadas e tecnicamente mais elaboradas.

Tocar vários tipos de Música também ajuda na formação do Músico. Toquei com os ídolos da Jovem Guarda como Eduardo Araújo e Silvinha, Wanderleia, nos anos 80 em Nova York com Charlie Rouse, Don Salvador, aqui no Brasil com Jorge Benjor, Tim Maia, Edu Lôbo, Raul de Souza, Guilherme Vergueiro, Marcio Montarroyos, Nico Assumpção, Fabio Junior, Arrigo Barnabé, entre outros que ajudaram a formatar minha Música na Bateria. Nos anos 90, lancei trabalhos solos com os LPs Urucum e Tempo Bom, e os CDs Crash, Temporal e Erupção colocando meu lado compositor e arranjador pra fora.

Uma vida só não basta para aprendermos tudo o que a Música pode nos proporcionar. Continuo estudando, antenado sempre no que acontece.

Com a evolução dos ritmos do jazz desde o século passado, o ritmo da bateria também teve profundas transformações?
Duda Neves: Sim, a Bateria está sempre evoluindo. Temos hoje a soma destes anos de existência e, a partir do Jazz e no Rock nos USA, onde tudo começou, a Bateria se fundiu nas culturas de outros países: a Bateria nos Ritmos Latinos, a Bateria nos ritmos brasileiros, africanos, no Reggae, tendo um papel determinante em vários estilos musicais.

Conte-nos sobre a criação da Escola de Bateria Duda Neves.
Duda Neves: A Escola de Bateria Duda Neves teve seu início em 1988. Não tínhamos muita informação na época, e pude ajudar muitos bateristas a se formarem em Leitura Musical, e a experimentar a conhecer outros ritmos e situações formando assim muitos profissionais e tendo assim muitos amigos na área da Música. Lancei 7 vídeo aulas de Bateria, o que fez com que o conhecimento se alastrasse, ajudando assim, a evolução de muitos bateristas. A Escola funciona hoje em minha casa, onde dou aulas particulares de Bateria especificamente. Estou com a sede em São Sebastião, litoral norte de São Paulo e também dou aulas em São Paulo nos fins de semana.

Qual foi o momento mais marcante da sua carreira?
Duda Neves: Vários momentos foram maravilhosos na minha vida. Poder tocar com grandes nomes da Música me fez sempre estudar mais, estar sempre procurando por mais estudo e aperfeiçoamento. Tocar com Arrigo pelos palcos da Europa, ver a galera curtindo os shows de Tim Maia e Jorge Benjor, sair correndo das fãs do Fabio Junior, viver e tocar em Nova York com muitos músicos, dar aulas para mais de mil bateristas me deixam com a sensação de estar no caminho. Sempre estudando, sempre procurando melhorar, evoluir.

Duda Neves

Duda Neves

Quais foram, quais são e quais serão os seus projetos?
Duda Neves: Meus projetos no passado eram voltados para acompanhar artistas, viajar, poder estar na estrada. Hoje me dedico a minha carreira solo compondo, tocando com o trio com Michel Freidenson e Sylvinho Mazzucca pelos palcos do planeta, sempre divertindo as pessoas e levando todo o encantamento que a Música proporciona. Dou aulas na ONG Instituto Verdescola com mais de 400 alunos onde ensino Bateria, Percussão, Coral e Musicalização Infantil, ciente de meu papel nesse planetinha complicado: plantando sementes da Música.

O futuro é agora, tenho vontade de tocar minhas composições com uma Orquestra Erudita. É um trabalho de grandes proporções, com muitas partituras para escrever, mas uma hora dará certo. Tenho que estar determinado, e força de vontade eu tenho. Continuarei no meu papel de músico e educador musical, divulgando a beleza que a Música oferece.

Algum conselho para a próxima geração de bateristas?
Duda Neves: Acho que se você quiser se dedicar ao instrumento, vá fundo no assunto. Procure estar bem informado do mundo da Música e da Bateria, procure os métodos conceituados de estudo e não tenha preconceito com nenhum tipo de Música, o bom profissional toca de tudo, respeita todas as cores. Procure sempre estudar a História do instrumento conhecendo grandes nomes da Bateria e procure vivenciar, mesmo em karaokê, os diferentes estilos de Música.

Para terminar, para onde a música está caminhando?
Duda Neves: A Música sempre está em evolução. Novos caminhos, novas propostas. Existe a Arte/Mercadoria feita para o Mercado, para vender, para divertir a massa, e existe a Arte pela Arte, onde podemos curtir uma Música mais elaborada preocupada com conteúdo, com novas linguagens e transformando sempre.

A Música é considerada a primeira das Artes por transmitir emoções de uma forma abstrata: a combinação de sons. A Música ajuda na formação da inteligência das crianças trazendo muitos benefícios e acredito que cada vez mais será valorizada como elemento fundamental na vida do ser humano.

Muita Música a todos, um prazer poder escrever um pouco para vocês. Grato.

Estude Bateria

Estude Bateria

Contatos: dudadudaneves@hotmail.com
Fone: (11) 9.8511-9118 (Whatsapp)

Acompanhe a Line Rockers nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter

Deixe seu comentário

To Top