A Cena Independente

Em nova fase da carreira, João Capdeville lança single

Canção conta com produção de Patrick Laplan e participação de Donatinho

Crédito: Carolina Vianna

Canção conta com produção de Patrick Laplan e participação de Donatinho

Um cavaquinho usado e um músico que nunca tocou o instrumento. Uma mesa de bar e uma poesia. Estes foram os ingredientes principais para a composição do single “Poeta de Bar”, single que estreia a nova fase da carreira de João Capdeville, cantor e compositor carioca. Produzida por Patrick Laplan, a faixa mostra amadurecimento musical ao unir um arranjo poderoso de metais com o gingado do samba. A música é um lançamento Sagitta Records e já se encontra disponível nas principais plataformas de streaming.

Ouça “Poeta de Bar”: http://bit.ly/PoetadeBar

Parte dessa mudança na sonoridade deve-se às viagens do artista pela América do Sul, onde buscou absorver a cultura latina em seu trabalho. O resultado foi uma canção que deixa o violão de lado e abre o coração para o cavaco, encarnando a figura do malandro arrependido que, da mesa do bar, conta das esperanças em ver a amada retornar. Enquanto o EP “Pausa” (2014) trazia influências da MPB marginal setentista e do violão clássico, o novo projeto é uma mistura do rock, da cumbia e de canções em português e espanhol.

“Algum tempo se passou desde o ‘Pausa’ e, consequentemente, esse tempo me modificou como pessoa. Mudei um pouco de rotina, tive outras experiências e tive contato com mais sonoridades e culturas. Unindo isso ao que já existia dentro de mim, encontrei e adicionei novas formas para me expressar e isso fica mais evidente ao decorrer do disco”, conta João Capdeville.

A musicalidade solar de “Poeta de Bar” não é à toa. Composta para brincar com a ideia do “poeta nato”, a canção começou a surgir em uma mesa de boteco, próximo a Praça São Salvador, localizada na Zona Sul do Rio.

“Poeta de Bar veio quando comprei um cavaquinho usado e estava tentando aprender sozinho. Fui tentando tirar algumas músicas, entre sambas e pagodes, me acostumando com o som, já que até então eu nunca tinha pegado em um desses. Vi quais acordes e regiões dele gostava mais e assim cheguei na harmonia da música. Logo após compus a melodia. A letra veio depois, curiosamente, quando estava com uns amigos num bar. Na mesa falávamos sobre a questão do chamado ‘dom’ da escrita e meu irmão mais velho me citou na conversa como um exemplo. Discordando quando me chamou de ‘poeta’, eu brinquei dizendo que se eu era, então seria um outro tipo, um ‘Poeta de Bar’. E a música se tornou uma forma de brincar comigo mesmo”, relembra João.

O single foi produzido e gravado por Patrick Laplan, no estúdio Fazendinha (BH), com a assistência de Rennan Guerra. A mixagem da faixa ficou por conta de Edu Costa, no estúdio do Pepe (RJ), assistido pelo próprio Pepe. A masterização é de Renato Alscher, no estúdio Corredor 5 (RJ). Os arranjos de metais foram de Patrick Laplan e o próprio João Capdeville, enquanto a direção vocal é de Ledjane Motta. Participam da canção os músicos João Capdeville (voz e cavaquinho), Patrick Laplan (bateria e baixo), Donatinho (rhodes, clarinete e pocket piano), Widor Santiago (sax tenor), Henrique Band (sax barítono), Marlon Sette (trombone) e Altair Martins (trompete).

Retrato de João Capdeville. Foto: Carolina Vianna.

Poeta de Bar (letra)

Não se vá assim

Meu coração não pode mais chorar

e a solidão já não quer me deixar

pago pra ver você voltar

E o sentimento lindo vai ficar

Do fundo do peito, sim, eu vou te amar

vou te escrever

você vai ver

Eu sou poeta de bar

sou malandro de mesa

sou do lado de lá

mas deixa, que eu vou te ligar

quando tudo girar

e eu nao me encontrar

em mim

Não se vá assim

Meu coração não pode mais chorar

e a solidão já não quer me deixar

pago pra ver você voltar

eu sou poeta de bar

sou malandro de mesa

sou do lado de lá

mas deixa, que eu vou te ligar

quando tudo girar

e eu nao me encontrar

em mim

Volta, volta, volta…

Deixe seu comentário

To Top