A Cena Independente

A introspecção e peso de Hanoi – Dharma Sailor

Dharma Sailor

Hanoi – Dharma Sailor é um trabalho que visa a junção de perspectivas e sonoridades que se intercalam entre o caos, a calmaria e suas belezas peculiares.

Fabrizzio Hanoi lançou neste primeiro semestre seu primeiro trabalho solo, denominado Hanoi – Dharma Sailor.

O guitarrista que já foi membro das bandas Guerrilha (2007, como baixista), Razonator, L.F. Angels (bons tempos de L.F.), Desperado$, Kepp It Fresh e Tribute to Sons of Anarchy, sempre buscou por um som próprio, com influências marcantes de rock‘n’roll, nwobhm, heavy metal, speed metal, thrash metal, hardcore, hard rock, power metal, extreme power metal, prog metal e metalcore.

Hanoi

Mais um sobrevivente em uma selva de pedras e criado em meio aos extremos de São Paulo que se intercalam entre o caos do stress à calmaria de suas belezas peculiares, resolveu criar um trabalho visando a junção de perspectivas e sonoridades semelhantes.

Personalidade e inúmeros significados são marcas registradas em cada detalhe do álbum, o que faz de Dharma Sailor um trabalho que costumo dizer “ter alma”. Dharma em sânscrito pode ser interpretado como “dom”, “presente divino” ou missão carregada pelo indivíduo na Terra, o álbum em si é fortemente influenciado pela cultura budista e busca trazer à tona a linha tênue entre a espiritualidade e a existência terrena. Para o músico ser humano não precisa ser realmente religioso para possuir espiritualidade (o que concordo total e irrevogavelmente). Já Sailor, que traduzido para o português significa “marinheiro”, remete à liberdade, à gana de aproveitar a vida sem carregar sobre si o peso da culpa e apegos .

Como nenhum bom marinheiro (leia-se pirata, rs) não navega sozinho, o disco traz consigo 7 faixas e participações de músicos bem conhecidos do cenário musical e independente paulistano:

Hanoi Dharma Sailor

Intro Sailor – Hanoi e André Minas (Theodor): A energia de um mantra mesclada à energia sagaz e ao mesmo tempo revigorante de um instrumental hard rock;

Kharma – Hanoi, Andy Einech (Mattilha), Saulo Martins (Demo Sapiens) e Jimmi Dg (Dirty Glory): A faixa fala sobre o karma, as conseqüências e o direcionamento que a vida toma a partir dele, nas guitarras duelos rápidos voltados às influências pessoais de Hanoi.

Carlota Joaquina – Hanoi, Andy Einech (Mattilha), Gabriel Martins (“Bibi”, Mattilha) e Saulo Martins (Demo Sapiens): A música narra a história da monarca Carlota Joaquina e seu espírito de liberdade, consequentemente manchado pela negatividade de seus atos que quase sempre culminavam em prejudicar outrem. A melodia remete muito as influencias do flamenco.

All My Life – Hanoi, Andy Einech (Mattilha), Gabriel Martins (“Bibi, Mattilha) e Jimmi Dg (Dirty Glory): Uma música auto-bibliográfica, narrando a dualidade entre a busca de paz espiritual e seu amor à vida boemia.

Akira – Hanoi, Andy Einech (Mattilha) e Thiago Vieira: Baseada no filme de mesmo nome, relembra a história de jovens que gostavam de se aventurar nas ruas até que um deles ganha super-poderes e acaba trazendo muitos problemas para seus parceiros. Faixa fortemente influenciada pelo Speed Metal.

Axe Crazy – Hanoi com Andre Minas (Theodor) e Pedro Grell (Solo): Uma homenagem ao metal dos anos 80, a maior influência para o músico, a faixa é um cover e contou com o apoio e a aprovação do guitarrista da própria banda Jaguar, Garry Pepperd.

Farewell To The Sailor: Minha eleita, diga-se de passagem! Influenciado pelos mantras, é uma versão de Kharma com o som da chuva, a idéia de tentar repassar uma sensação de paz ao ouvinte foi conseguida, Farewell To The Sailor trás a mim traz uma sensação de nostalgia e paz interior sem deixar de lado o toque melódico da guitarra.

Atualmente o músico tem trabalhado na gravação de seu novo álbum que será entitulado “The Om Survivors”, seguindo a mesma linha de seu primeiro disco solo.

 

Quer conhecer o novo álbum de Fabrizzio Hanoi? Então dê o play e curta full album Dharma Sailor.

Deixe seu comentário

To Top