A Cena Independente

Nenê Altro, vocalista do Dance of Days, lança primeiro disco solo

Uma das figuras mais emblemáticas do underground nacional, Nenê Altro lança seu primeiro disco solo após 32 anos de estrada 

Uma das figuras mais emblemáticas do underground nacional, Nenê Altro lança seu primeiro disco solo após 32 anos de estrada 

Líder do Dance of Days, pai do movimento staight-edge no Brasil, militante anarquista, escritor e amante de café Nenê Altro acaba de lançar o disco Classe de 1972 pela Monstro Discos.

Segundo ele, a ansiedade e a empolgação com esse disco foram as mesmas de quando gravou sua primeira demo tape. “De lá pra cá mais de trinta anos voaram, as cenas mudaram, valores, gostos, as pessoas e os conceitos. Eu mesmo caí e levantei centenas de vezes, aprendi das melhores e piores formas possíveis a sobreviver e que seguir adiante é o mais importante. Mas, no fundo ainda sou aquele mesmo garoto. Sempre segui meu coração e minha regra sempre foi ser feliz, nunca fiz nada musicalmente que não quis, nunca fiquei numa banda por ficar, por exemplo, e nunca deixei o sorriso em segundo plano. Em minha carreira faria tudo outra vez”, afirmou ele.

O título Classe de 1972 além de, óbvio, ser uma referência à idade do Nenê, é proposital para a identificação de geração, presente em todo contexto do álbum e na proposta do trabalho solo do compositor. O embrião desse álbum começou com a última demo da banda Nenê Altro & O Mal de Caim (2004-2015). Com a reunião da parceria Edu Krummen (guitarra) e Nenê Altro em 2015 para dar continuidade ao projeto, a dupla decidiu seguir com a proposta oitentista, mas desvincular-se da cena darkwave/gothpunk. As primeiras músicas compostas pela dupla Altro/Krummen para esse novo trabalho foram Alma Negra e A Falta. São as que mais dialogam com o trabalho do Nenê Altro & O Mal de Caim. Depois de ouvi-las gravadas em ensaio a dupla decidiu mantê-las, mas focar em experimentar novos caminhos influenciados por Big Audio Dynamite, The Pretenders, The Jam e Stiff Little Fingers. O disco conta ainda com as participações de Bruno Bento (baixo) e José Santos, do Dance of Days, na bateria.

Classe de 1972, segundo o eterno legionário Dado Villa-Lobos, é “guitar rock clássico, urbano e atual, cheio de amores e desencantos melódicos e atitude na medida certa. Um disco pulsante e jovem”. Classe!

Confira a faixa “Estilo Baixa Classe”:

Você pode conferir o disco nas seguintes plataformas:
(Spotify) http://spoti.fi/2rlt5M0
(Deezer) http://bit.ly/2qZGIAL
(iTunes) http://apple.co/2rzbbD0
(Amazon) http://amzn.to/2rlCt28
(Google Play) http://bit.ly/2rlCpQ2
(Youtube) http://bit.ly/2qB0pxU

Deixe seu comentário

To Top