Entrevistas

O Groove Rock da banda Coyotes California

Coyotes California na Expo Music 2016

A minha parte eu quero em groove, Show Expo Music 2016 e uma entrevista muito bacana da Coyotes California com a equipe da Line Rockers.

Fotos enviadas pela banda

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

“A minha parte eu quero em groove” vem repleto de influências groove, rock, rap e com um toque de jazz!

Coyotes California é uma banda rica em ritmos consagrados no passado e na atualidade, nos remete a movimentos plurais que atravessaram o tempo e o espaço onde nasceram. Um deles, e provavelmente o principal deles, é o movimento de Contracultura (1960) que além de ter tido um caráter político e (anti) social trouxe um espírito mais libertário e ficou conhecido como uma cultura underground, uma cultura alternativa, na busca de novos espaços e canais de expressão para o indivíduo.

A influência da Califórnia, então, unira-se à cultura de rua vindo de São Paulo somando o groove, o rock e o rap em uma grande homenagem aos grandes nomes que fizeram frente a esses gêneros.

Em julho de 2011, o videoclipe da música “O Poder” gravado na Casa das Caldeiras (antiga fábrica da Zona Oeste de São Paulo), estreou na programação da MTV Brasil e no Jornal Leitura Dinâmica Segunda Edição, da Rede TV.

“A minha parte eu quero em groove” é o nome do último e mais novo álbum, gravado no final de 2014 na Freak House e lançado em agosto de 2015 com o apoio com produtora Ócio Cultura Brasil. O álbum teve como coprodutor o músico João Gonçalves que também participou tocando algumas percussões junto de Filipe Bizorro. Outra participação notável no álbum foi do músico Fernando Bastos (Seu Jorge), que tocou flauta e sax em algumas músicas. Repleta de influências de groove, rock, rap e com um toque de jazz (na música de abertura) a banda se prepara para atingir voos maiores.

 

CONFIRA A ENTREVISTA REALIZADA COM A BANDA APÓS O SHOW NA EXPOMUSIC.

Line: Como esta sendo pra branda tocar em um evento grande como a Expomusic?
Banda: tocar em um evento como esse é sem palavras, demais, difícil encontrar uma estrutura desse porte, ficamos muito felizes inclusive com a receptividade da galera e tal. Falcão Moreno – Vocalista

Line: É a primeira vez que vocês tocam na expo? Já tocaram em algum outro festival?
Banda: Na expo não, é a primeira vez. Começamos a banda em 2007 tocamos em um festival chamado Café Aurora e até ganhamos na época. Tocamos em outros festivais que me fugiram o nome, sendo um em Campinas e aqui em São Paulo também. Falcão Moreno – Vocalista

Line: Percebemos através do show que rolou agora, a banda tem um som mais underground. Como vocês consideram o som de vocês? E quais as influências que levam pras musicas e letras?
Banda: De influência é bem a cena californiana mesmo, dos anos 90 que é Red Hot Chili Peppers, Infectious Grooves, Suicidal Tendencies, Faith no More, Jane´s Addiction, Primus, enfim, aquela penca de banda que saiu de la e que influencia a gente até hoje. As letras das nossas musicas falam muito de rua mesmo, relacionamento, sexo, enfim. Falcão Moreno – Vocalista

Line: As letras das musicas são autorais? Quem compõe? Qual o processo de criação delas?
Banda: As letras todas eu escrevo e a parte musical é meio que geral, a gente improvisa muito nos ensaios então acaba saindo muita coisa de improviso que acaba virando som, mais não tem uma regra, às vezes eu escrevo primeiro as vezes a música vem primeiro. Falcão Moreno – Vocalista

Line: A banda possui algum projeto novo? Pode contar um pouco pra nós?
Banda: Na verdade, acabamos de lançar um disco chamado “A minha parte eu quero em groove” que faz um ano exatamente e estamos trabalhando esse disco agora, inclusive vamos até gravar um clipe talvez no próximo mês da música “Meu mundo mudou”. Falcão Moreno – Vocalista

Line: Como uma banda independente, o que vocês sentem de dificuldade nisso no Brasil? Vocês acham que existe essa dificuldade?
Banda: Sempre tem, bom, a gente tá nessa por amor e pela música, o dinheiro facilita muita coisa e agente sente que não tem uma cena forte, sentimos que tem muita banda inclusive de amigos, inclusive aqui no evento, mas sentimos que falta alguma coisa, falta talvez união, algo que não sei exatamente, inclusive dos produtores  ou casa que não oferece estrutura bacana pra banda tocar. Falcão Moreno – Vocalista

Line: E como é o relacionamento de vocês com os fãs através da internet? Vocês acreditam que hoje a internet continua sendo um meio muito forte no crescimento da banda?
Banda: Certeza né? Internet ela traz o fã pra perto, agente troca muita ideia com eles, gostamos de perguntar o que acham do nosso som e da letra. Ai acontece aquelas paradas que as vezes estamos até desanimados ai aparece um fã de outra cidade lá longe que joga agente pra cima. Falcão Moreno – Vocalista [/vc_column_text][vc_masonry_media_grid grid_id=”vc_gid:1475007106612-950a29e8-3ef1-6″ include=”1758,1759,1760,1762″][vc_column_text]Não deixe de acompanhar a banda nas redes sociais:
Facebook, YouTube, Twitter, Instagram

Ouça nas plataformas digitais:
Spotify e Deezer[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Deixe seu comentário

To Top