Cobertura de Shows

Punk, público plural e potência política marcam a comemoração dos 40 anos da contracultura no Tendal

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Rock no Tendal – 40 anos de Punk, reuniu 8 bandas punk e público variado numa ensolarada tarde de domingo no Tendal da Lapa.

Foto de Carol Marinho Martin

Aconteceu no último dia 18 de junho o festival “Rock no Tendal – 40 anos de Punk”. O evento gratuito, organizado pelo Projeto Torto (selo que fomenta a sustentabilidade das bandas) e pela NoWar Records, reuniu 8 bandas punk e público variado numa ensolarada tarde de domingo no Tendal da Lapa, espaço cultural na Zona Oeste da capital.

rock-no-tendal-40-anos-de-punk

Foto de Fe Fotografia

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Foto de Carol Marinho Martin

Foto por Fe Fotografia

Foto por Fe Fotografia

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

DJ Junior Core | Foto de Carol Marinho Martin

A abertura do festival e discotecagem ao longo do dia ficou por conta do DJ Junior Core, idealizador da Sub Pop Fest, que busca fortalecer o underground nacional. A primeira banda a subir ao palco improvisado foi Charlotte Matou um Cara, trio feminino com influências do movimento punk riot girl, do feminismo interseccional e dos movimentos antifascismo e anti-homofobia.

Rock no Tendal - 40 anos de Punk | Charlotte Matou um Cara

Charlotte Matou um Cara | Foto de Fe Fotografia

Em seguida, o hardcore punk e o metal punk rápido e direto da Atos de Vingança acelerou o público que se espalhava pela grama dos quintais do Tendal. Na mesma convulsão gutural e nervosa, continuou o quarteto GLOCK 16, formado ano passado na Zona Leste.

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Foto de Carol Marinho Martin

Foto de Carol Marinho Martin

Foto de Carol Marinho Martin

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Foto de Carol Marinho Martin

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Porno Massacre | Foto de Carol Marinho Martin

Numa pegada um tanto incomum à cena independente de hoje em dia, o Porno Massacre trouxe ao palco a performatividade punk glam, traço distintivo tanto no som quanto no visual dos integrantes. Na seqüência, as mulheres da Ratas Rabiosas trouxeram suas versões feministas de músicas originalmente opressoras e machistas, na busca por sororidade e resistência.

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Ratas Rabiosas | Foto de Carol Marinho Martin

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Maconha grindcrustconhacore | Foto de Carol Marinho Martin

Com o sol indo embora, o grupo Maconha grindcrustconhacore entra no palco com seu vocalista de voz gutural e dreadlocks, seguidos pela banda de São Bernardo do Campo ACB Hardcore, que acelera o público ainda presente com músicas que falam sobre a hipocrisia da religião e de revolta e rebeldia. Pra fechar a noite, por volta das 20h, subiu ao palco o duo autoral que tem letras políticas e sobre amor e “rolês” Ataque Fatal, que está em estúdio gravando seu terceiro álbum com lançamento previsto para julho.

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

ACB Hardcore | Foto de Carol Marinho Martin

O Festival também teve a participação do Escape HQ, um coletivo de quadrinhos criado em 2012 que publica fanzines oitentistas com histórias inéditas e autorais, e do site D’Outro Lado, especializado em merchandising personalizado para bandas independentes.

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Coletivo Escape | Foto de Carol Marinho Martin

Rock no Tendal - 40 anos de Punk

Site Doutrolado | Foto de Carol Marinho Martin

Importante ressaltar que o evento faz parte de um conjunto de iniciativas de coletivos artísticos independentes (como o Projeto Torto) que há muito tempo programam atividades no Tendal da Lapa das mais variadas linguagens artísticas, como teatro, dança, esportes e música, tudo em caráter gratuito e voluntário.

O centro cultural, inaugurado em 1989 e que já funcionou como centro de armazenamento e distribuição de carne para a cidade de São Paulo, tem verba escassa destinada a sua manutenção. Isso praticamente obriga os coletivos e voluntários a tirarem recursos do próprio bolso para oferecer atividades à população. Ainda bem que energia artística é o que lhes sobra!

Deixe seu comentário

To Top