Cobertura de Shows

Rebirth Of Shadows Tour: a celebração de uma era

Edu SP - Capa
foto de Alexandre Cardoso

Edu Falaschi revisita sua carreira no Angra, emocionando fãs em noite memorável em São Paulo

Ocorreu, no dia 23 de julho, um misto de emoção, nostalgia e choradeira, que tomou conta do Carioca Club, onde Edu Falaschi apresentou a sua “Rebirth Of Shadows Tour”, tocando clássicos dos álbuns da época em que estava no Angra: “Rebirth”, “Hunter and Prey”, “Temple of Shadows” e “Aurora Consurgens”.
A clássica formação: Edu Falaschi, o baterista Aquiles Priester e o tecladista Fabio Laguna se juntou ao baixista Raphael Dafras, ao guitarrista Diogo Mafra (integrantes do Almah) e Roberto Barros, também na guitarra, em um show histórico para os fãs do Angra.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

O grupo paulistano Attractha, composto por Cleber Krichinak (vocal), Ricardo Oliveira (guitarra), Guilherme Momesso (baixo) e Humberto Zambrin (bateria) abriu a noite com o seu autêntico heavy metal, entrando pontualmente às 19hs com uma intro seguida pela pesada “Bleeding in Silence”, primeira faixa do álbum “No Fear to Face What’s Buried Inside You”, que por sinal foi produzido por Edu Falashi.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

O quarteto seguiu com “231”, “Victorious” e “Payback Time”, que tem uma pegada forte com refrão marcante. Para encerrar o curto repertório, a agressiva “Unmasked Files”.

Após um atraso de aproximadamente 30 min, as luzes se apagaram e as cortinas se abriram ao som de “Deus le Volt!”. Impossível não deixar de reparar na monstruosa bateria de Aquiles na parte de cima do palco. Fazendo jus ao apelido do baterista, um polvo centralizado no instrumento chamava atenção.

Aquiles, Raphael, Diogo e Roberto surgiram no palco, sendo muito ovacionados pelo público que encheu a casa. “Spread Your Fire” é uma excelente escolha para começar o show, mostrando que a noite seria mesmo especial e Edu não decepcionou, cantando muito bem, acompanhado pelo público em cada frase. “Acid Rain” e “Running Alone”, ambas do “Rebirth”, vieram na sequência e sem pausa, saciando os fãs que há muito gostariam de ouvir essas músicas com o intérprete original.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

Sempre que falava com os presentes, Edu não disfarçava a alegria com o show que celebrava grandes momentos de sua carreira e fazia questão de agradecer todos os envolvidos na produção, amigos e, claro, os fãs. Com um violão em mãos, o cantor iniciou a balada “Wishing Well”, seguida por “Caça e Caçador”. O curioso é que Edu optou pela versão em português da música do EP “Hunter and Prey”, e não eram tantos que sabiam a letra completa.

A dupla de guitarristas Roberto Barros e Diogo Mafra mostrou-se uma acertada escolha de Edu, tamanha a competência dos dois músicos com as seis cordas. Barros rouba um pouco mais da atenção por ter a difícil missão de tocar os solos de Kiko Loureiro, e o cara não decepciona, é um monstro. Até o mais chato fã do Angra tem que dar o braço a torcer e lhe parabenizar.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

“Sei que é domingo e todos trabalham amanhã, mas o nosso plano é fazer um show bem longo”. E dá-lhe “Angels and Demons”, mais uma porrada na orelha, música dificílima e com grande performance da banda. “Heroes of Sand” e “Breaking Ties”, a única música do “Aurora Consurgens” tocada nessa noite.

Sozinho no palco, com um violão em mãos, Edu contou a história de como foi convidado para cantar o tema do anime “Cavaleiros do Zodíaco” e como isso acabou se tornando uma espécie de cartão de visitas do vocalista, pois em todo show sempre tem alguém que pede pela música. Dessa vez, nem foi preciso pedir: a versão acústica de “Pegasus Fantasy” matou a vontade dos fãs, que foram surpreendidos na sequência por uma versão de “Trem das Onze”, de Adoniran Barbosa.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

Um dos pontos altos da noite foi a bela “Late Redemption”, que teve a parte gravada originalmente por Milton Nascimento, cantada em uníssono pelos presentes. É incrível perceber como o álbum “Temple of Shadows” se tornou uma unanimidade entre os fãs do Angra, que o colocam lado a lado (e muitas vezes, acima) de outros clássicos da banda, como “Angels Cry” e “Holy Land”.

O repertório escolhido por Falaschi para essa turnê, composto de músicas dos seus primeiros 4 anos da banda, não deixam dúvidas de que ele é sim, um dos responsáveis pelo renascimento do Angra, após um período de inatividade com a saída de André Matos, Hugo Mariutti e Ricardo Confessori. “Rebirth” e “Temple of Shadows” colocaram o Angra de volta ao lugar que a banda merecia no heavy metal nacional e mundial, dando projeção aos “novatos” Edu, Felipe Andreoli e Aquiles Priester.

Aliás, o que falar do Aquiles? Técnicamente, o cara é de outro mundo e falar de sua performance é “chover no molhado”, como os presentes puderam ver no solo que ele apresentou nesse show. Parece que por maior que seja o tamanho do seu kit, mais ele quer fazer.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

Ao ser apresentado por Edu, Aquiles disse que estava com saudades dos fãs do Angra, enfatizou a importância de Fábio Laguna em fazer aquela reunião acontecer, enalteceu todo o trabalho de Edu Falaschi e o quanto ele merece uma oportunidade daquelas: tocar as músicas que ajudou a eternizar com sua ex-banda.

Criticado nos últimos anos por performances irregulares tanto no Angra quanto Almah, Edu agora vive uma fase vocal muito melhor. Tem mais tempo para se cuidar e ainda mais conhecimento técnico, montando o setlist de maneira inteligente, dosando a voz ao longo de mais de uma hora e meia de músicas bem difíceis. “The Temple of Hate”, “Heroes of Sand”, “Millenium Sun” e “Waiting Silence”, entre outras, soaram como há muito tempo não se ouvia.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

“Live and Learn”, “Rebirth” e “Nova Era” foram os últimos petardos de um show marcante tanto para os fãs como para a banda. E a casa cheia é prova de que a música fala mais alto e que as rivalidades e polêmicas que envolvem o nome Angra e seus ex-integrantes, devem ficar em segundo plano, mostrando qual é o verdadeiro legado de um dos maiores nomes do nosso heavy metal.

foto de Alexandre Cardoso

foto de Alexandre Cardoso

Set List EDU FALASCHI
1-Spread Your Fire
2-Acid Rain
3-Running Alone
4-Wishing Well
5-Caça e Caçador
6-Angels and Demons
7-Heroes of Sand
8-Breaking Ties
Solo Acústico
9-Pegasus Fantasy
10-Trem das Onze (Cover de Adoniran Barbosa )
11-Late Redemption
12- Solo de Bateria do Aquiles Prieste
13-The Temple of Hate
14-Bleeding Heart
15-Millennium Sun
16-Waiting Silence
17-Live and Learn
Bis :
18-Rebirth
19-Nova Era

Set List ATTRACHTA
1. Intro
2- Bleeding in Silence
3. 231
4. Move On
5. Victorious
6. Payback Time
7. Unmasked Files

Deixe seu comentário

To Top