Cobertura de Shows

Show do Ed Sheeran leva 40 mil ao Allianz Parque

Show do Ed Sheeran leva 40 mil no Allianz Parque

Ed Sheeran leva 40 mil no Allianz Parque, arquibancadas e pista estavam lotadas, maioria por meninas adolescentes. Abertura ficou por conta de Antonio Lulic.

Foto de Carol Marinho Martin

O acesso ao show foi bem tranquilo. Bastante sinalização, a CET dando suporte necessário, não havia filas muito grandes.

A abertura ficou por conta do inglês Antonio Lulic, amigo pessoal de Ed Sheeran que o acompanha nos meses de maio e junho na passagem da turnê pela América Latina. O começou exatamente no horário: 19h. Durou cerca de meia hora.

As arquibancadas e pista estavam lotadas, em sua maioria por meninas adolescentes. Havia muitos pais também para acompanhá-las. Havia cerca de 40 mil pessoas no Allianz Parque, cinco vezes mais de quando Ed tocou no Espaço das Américas em 2015 para 8 mil pessoas.

Ed Sheeran lota arquibancadas do Allianz Parque (Foto de Carol Marinho Martin)

Ed Sheeran lota arquibancadas do Allianz Parque (Foto de Carol Marinho Martin)

Ed Sheeran entrou no palco no horário programado: 20h. O cantor começou com “Castle in the Hill”, levando fãs ao delírio. O show, que durou cerca de 1h40, apresentou sucessos de “Divide”, seu terceiro trabalho, que até agora é o álbum mais vendido do mundo em 2017.

O cantor de 26 anos ganhador de um Grammy em 2016 segue a mesma atitude de show desde o começo de sua carreira: apresenta-se sozinho, sem acompanhamento de outros músicos, sem backing vocals, sem dançarinos, apenas com um equipamento que comanda com os pés e que grava sua voz, riffs e loops. Essa sobreposição de sons garante um estilo único de apresentação no mundo pop atual.

O setlist segue com outras músicas de “Divide” (“Eraser”, “Dive”, “Perfect”, “Galway Girl”, “Happier”, “Nancy Mulligan”, “New Man”), do primeiro álbum “Plus” (“The A Team” e “Give Me Love”) e de “Multiply” (“Don’t”, “Bloodstream”, “Photograph” e “Thinking Out Loud”), além de um cover inusitado de “Feeling Good” de Nina Simone misturado a “I See Fire”, música de Ed que está na trilha sonora do filme “O Hobbit: A Desolação de Smaug” (2013).

Grandes telões e efeitos no palco do show de Ed Sheeran (Foto de Carol Marinho Martin)

Grandes telões e efeitos no palco do show de Ed Sheeran (Foto de Carol Marinho Martin)

O estádio quase vem abaixo com 40 mil pessoas pulando ao som de “Sing”, parceira de Ed com Pharrell Williams. O bis, com Ed vestindo uma camiseta da seleção brasileira de futebol e hasteando uma bandeira do país, vem como uma espécie de retrospectiva da carreira: ele termina o show com “Shape of You”, do último álbum, seguido da balada “You Need Me, I Don’t Need You”, do primeiro trabalho.

Curiosidade: os álbuns de Ed Sheeran levam o nome das operações básicas da matemática. O primeiro, de 2011, chama-se “Plus” (mais), o segundo, de 2014, “Multiply” (multiplicação) e “Divide” (divisão) de 2017. Seria o próximo “Minus” (menos)?

Deixe seu comentário

To Top