Cobertura de Shows

Sim, Phil Collins está de volta!

A volta de Phil Collins, show em Londres.

O Portal Line Rockers esteve presente no show de Phil Collins em Londres e trás com exclusividade o que rolou nesse espetáculo maravilhoso.

Foto de Deca Pertrini

Line Rockers esteve presente no show de Phil Collins em Londres

Depois de um hiato de quase uma década que seguiu as batalhas de Collins com problemas para voltar, o cantor anunciou em outubro de 2015 que ele não estava mais “oficialmente aposentado”. Em 2016, Collins surgiu com alguns mini-concertos e aparições promocionais , antes de agendar a sua tão aguardada volta com a Not Dead Yet Tour.

Esse foi um show que nunca imaginei que veria ao vivo. Sempre fui muito, mas muito fã de Phil Collins e o anúncio da sua volta aos palcos me fez viver quase um ano em ansiedade total. Deu certo, consegui estar ali, bem perto dele e tentarei descrever minhas impressões a seguir.

Seriam 6 noites no Royal Albert Hall, porém, Phil sofreu uma queda em seu quarto de hotel e tiveram que cancelar as duas últimas datas. Tive sorte, fui na segunda apresentação.

Com apenas 8 minutos de atraso, Phil anda no palco lentamente, com a ajuda de uma bengala, passa quase todo o show sentado em uma cadeira giratória preta, no centro do palco e uma mesa lateral com uma garrafa de água. Suas palavras iniciais são: “”Eu sei que disse que nunca mais faria isso, mas a verdade é que eu senti falta de vocês. A única coisa que vai ser um pouco diferente esta noite é que eu tenho que cantar sentado. Eu sei que vocês sentirão falta da minha dança, mas eu tive uma operação de volta e minhas pernas estão fodidas.”

O espetáculo se inicia com a belíssima balada – Against All Odds (Take a Look at Me Now), embora ele se esforce para bater as notas mais altas, segue com Another Day in Paradise e One More Night.

Phil Collins show de Londres

Foto de Deca Pertrini

Não tem como não se emocionar com a performance dele. EU ESTAVA LÁ, estava cantando todas aquelas músicas que me faziam chorar durante madrugadas, quando ouvia o extinto programa Love Songs, da extinta Rádio Cidade, na minha infância e começo da adolescência. Sim, esse programa era fantástico, pois era uma espécie de Alpha FM melhorada.

Não tem como não comentar sobre os incríveis músicos que o acompanham, pois Collins sempre escolheu os melhores durante toda a sua carreira, entre eles o lendário baixista Leland Sklar, o guitarrista Daryl Stuermer, Ronnie Caryl na guitarra rítmica, o percussionista Luis Conte, Harry Kim e Dan Fornero nos trompetes, George Shelby no saxofone, Luis Bonilla no trombone, Brad Cole no teclado, Arnold McCuller, Amy Keys, Bridgette Bryant e Lamont van Hook nos backing vocals e o novato Nicholas Collins na bateria e piano.

O guitarrista Daryl Stuermer | Foto de Deca Pertrini

O guitarrista Daryl Stuermer | Foto de Deca Pertrini

o percussionista Luís Conte | Foto de Deca Pertrini

o percussionista Luís Conte | Foto de Deca Pertrini

A sequência de sucessos se deu com Wake Up Call, Follow You Follow Me, Can’t Turn Back the Years, I Missed Again, Hang in Long Enough, Separate Lives, que teve um belo dueto com a fantástica Bridgette Bryant, em um lindo cenário com estrelas, e Only You Know and I Know, antes de um intervalo de aproximadamente 15 min.

O lindo cenário em Separate Lives | Foto de Deca Pertrini

O lindo cenário em Separate Lives | Foto de Deca Pertrini

com Bridgette Bryant | Foto de Deca Pertrini

com Bridgette Bryant | Foto de Deca Pertrini

Um dueto absurdo de Nic Collins e Luis Conte abriu o segundo tempo. Algo parecido com o passado de Phil, Chester Thompson e o próprio Conte, por exemplo, mas o fato é que o filho está fazendo o papel que o pai não pode mais, e se mostra um músico com um futuro brilhante.

I Don’t Care Anymore e Something Happened on the Way to Heaven antecederam o emocionante momento em que Phil se senta ao lado de Nic no piano, e enquanto o filho toca, o pai canta You Know What I Mean. Notável o orgullho que um sente pelo outro nesse momento.

In the Air Tonight fez com que o público se levantasse, pois não tinha mais como se comportar na cadeira com a sequência que veio em seguida: You Can’t Hurry Love, Dance Into the Light, Invisible Touch, Easy Lover e Sussudio. Durante as músicas, os músicos iam até o Phil e dançavam a sua volta, já que não foi possível a presença do cantor fazendo seus famosos passinhos durante elas.

Infelizmente If You Love (Really Love Me) e Take Me Home encerraram a grande noite, deixando a vontade de acompanhar a tour inteira.

Phil Collins

Foto de Deca Pertrini

Foi um mix de felicidade e tristeza. Fiquei incrivelmente realizada por ter tido a sorte de estar nesse show, mas bateu a tristeza em vê-lo sentado, vê-lo de certa forma sentido por não poder mais acompanhar seus músicos nas danças e principalmente por não ter se sentado na frente do instrumento que mais ama: a bateria.

Show do Phil Collins em Londres

Foto de Deca Pertrini

Show do Phil Collins em Londres

Foto de Deca Pertrini

Show do Phil Collins em Londres

Foto de Deca Pertrini

Show do Phil Collins em Londres

Foto de Deca Pertrini

Foto de Deca Pertrini

Foto de Deca Pertrini

Show do Phil Collins em Londres

Foto de Deca Pertrini

Phil seguirá com a sua turnê por mais alguns meses e que não custa sonhar que passe pelo Brasil.

Deixe seu comentário

To Top