Shows & Eventos

Zucchero apresenta turnê Black Cat em shows pelo Brasil

O cantor italiano interpretará seu mais recente trabalho no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre no mês de outubro

Foto: Di Meenol

O cantor italiano interpretará seu mais recente trabalho no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre no mês de outubro

Zucchero, um dos maiores artistas musicais da Itália, está de volta com seu novo álbum Black Cat. Com um total de mais de 60 milhões de cópias vendidas, o disco tem um sabor de rock e blues e resgata o ambiente e a espontaneidade de Oro, Incenso e Birra, um dos discos italianos que tiveram maior sucesso de vendas em todo o mundo. No Brasil, o artista interpretará seus sucessos no Rio de Janeiro, no dia 26 de outubro, no Teatro Bradesco Rio; em São Paulo, no dia 27 de outubro, no Teatro Bradesco e em Porto Alegre, no dia 28 de outubro, no Teatro do Bourbon Country.

O álbum Black Cat, gravado ao longo de 2015 é uma colaboração entre Zucchero e os produtores T-Bone Burnett (Elvis Costello, Elton John, Tony Bennett), Brendan O’Brien (Bruce Springsteen, Pearl Jam, Bob Dylan) e Don Was (Rolling Stones, Iggy Pop, Bob Dylan). Black Cat é resultado de uma reunião de esforços entre Zucchero e Bono (U2), que escreveu a letra da música “Streets of Surrender (S.O.S.)” após a tragédia no Clube Bataclan em Paris, em novembro de 2015, e Elvis Costello, que escreveu a música “Turn The World Down”. Este álbum apresenta ainda o trabalho extraordinário de Mark Knopfler na guitarra.

Entre os maiores intérpretes do blues, Zucchero é o artista italiano com maior sucesso de vendas de todos os tempos. De fato, seu álbum Oro, Incenso e Birra vendeu mais de oito milhões de cópias e foi, durante muito tempo, o álbum mais bem-sucedido, em termos de vendagem, na história da música popular italiana, em todo o mundo.

Numa carreira de mais de três décadas, ele obteve sucesso internacional, também por meio de suas colaborações com outros artistas de peso, entre os quais Eric Clapton, Miles Davis, Ray Charles, B.B King, Sting, Bono, Jeff Beck e Andrea Bocelli. Foi indicado para um prêmio Grammy e também ganhou dois prêmios mundiais de música (World Music Awards), quatro prêmios Festivalbar, e seis prêmios de música de sopro (Wind Music Awards) no seu país, a Itália.

Zucchero

Adelmo Fornaciari nasceu em Roncocesi no dia 25 de setembro de 1955. Depois se mudou para a localidade de Forte dei Marmi, na Toscana, onde entre 1970 e 1978 formou as suas primeiras bandas R&B: ‘Le Nuove Luci’, ‘Sugar & Daniel’ e ‘Sugar & Candies’. Naquele momento, ele já era conhecido como Zucchero, um apelido que lhe foi dado por um dos seus professores na escola.

No ano de 1981 venceu o Festival de Castrocaro com a música ‘Canto Te’. Depois, em 1983, gravou seu primeiro álbum de estúdio, com o título de ‘Um Po’ de Zucchero’. Em 1985, como parte de uma nova banda com Randy Jackson participou do Festival de San Remo com a música ‘Donne’ (BMG) e depois produziu ‘Zucchero & The Randy Jackson Band’.

O álbum seguinte, ‘Rispetto’, chegou ao topo das paradas logo após a sua produção. Zucchero participou e venceu o Festival de San Remo mais uma vez no ano seguinte, desta vez com ‘Canzone Triste’. Em 1987, gravou ‘Blue’s’ com Corrado Rustici e David Sancious, que se juntaram para as sessões com Clarence Clemmons e os Memphis Horns. O resultado foi que mais de 1,3 milhão de cópias foram vendidas na Itália, o melhor resultado comercial já alcançado por um disco de rock no país. Logo após este lançamento, Zucchero fez um tour musical junto com Joe Cocker e Miles Davis.

No ano de 1989, lançou seu quinto disco, ‘Oro, Incenso e Birra’, com a participação de Eric Clapton. O que faz esta música se destacar é o solo de Clapton na guitarra, na canção ‘Wonderful World’. Este álbum vendeu mais de 1,7 milhão de cópias apenas na Itália, assim quebrando o recorde que havia sido estabelecido por ‘Blue’s’.

No ano de 1990 houve o lançamento de ‘Oro, Incenso e Birra’ na Inglaterra e, para promover esta obra, Zucchero participou de uma excursão pela Europa junto com Eric Clapton. Assim, se tornou o primeiro artista de rock a se apresentar no Kremlin, em Moscou, e durante esta apresentação, que foi transmitida para toda a Europa, fez dueto com Randy Crawford em ‘Imagine’ e com Toni Childs na canção ‘Many Rivers to Cross’.

Em 1991, Zucchero gravou a música ‘Senza uma Donna’ (Sem uma Mulher) com Paul Young. Este compacto simples liderou as paradas em quase todos os países na Europa e também nos Estados Unidos. A música ‘Diamante’ também foi primeiro lugar nas paradas musicais na Europa. Além disso, Zucchero escreveu a letra e cantou a versão de ‘Mad about You’ em italiano (Muoio per te), que fez parte do álbum ‘The Soul Cages’, de Sting. No mesmo ano, Zucchero voltou a Moscou para lançar o álbum Live at the Kremlin para a imprensa mundial. Mais para frente, no mesmo ano, Brian May convidou Zucchero para se juntar a ele e aos outros integrantes do grupo Queen na apresentação do show em homenagem a Freddie Mercury, o ‘Freddie Mercury Tribute’, no Estádio de Wembley em Londres, Inglaterra. Naquela ocasião, Zucchero apresentou a música ‘Las Palabras de Amor’ (1992).

‘Miserere’, seu sexto álbum de estúdio, foi lançado internacionalmente no dia 1 de outubro de 1992, em inglês e também em italiano. A faixa-título é um dueto com o grande mestre Luciano Pavarotti. A letra da versão em inglês foi adaptada por Bono, da banda U2. No álbum, a parte de tenor ficou a cargo de Andrea Bocelli, cantor lírico italiano que foi descoberto e lançado no mercado pelo próprio Zucchero.

No dia 25 de janeiro de 1993, ‘Miserere’ foi certificado como disco múltiplo de platina, e no evento de premiação musical ‘World Music Awards’, Zucchero recebeu o prêmio como o ‘Cantor Italiano Mais Bem-Sucedido do Ano’. Em 1994, lançou ‘Diamante’, uma coletânea de grandes sucessos especialmente para o mercado regional da América do Sul, com versões feitas por Fito Paez.

‘Spirito Di Vino’ foi lançado mundialmente no dia 27 de maio de 1995. O conceito deste álbum surgiu a partir do desejo do Zucchero de fazer uma imersão no cenário musical de Nova Orleans, onde o álbum foi gravado. Este álbum conseguiu captar os sons e o clima do Delta do Mississippi.

Em novembro de 1996, houve o lançamento do álbum de grandes sucessos, com o título de ‘The Best of Zucchero’. No seu lançamento, o álbum passou a liderar as paradas de sucesso na Europa com músicas famosas como ‘Il Volo/My Love’, ‘Menta e Rosmarino / I Won’t Be Lonely Tonight’ além de alguns sucessos mais antigos, como por exemplo ‘Diamante’, ‘Senza Una Donna’ e ‘Diavolo in Me ’. Este álbum já vendeu quase 3 milhões de cópias.

O ano de 2001 teve início no Vale do Napa, na Califórnia, aonde Zucchero e Corrado Rustici, junto com o DJ John O’Brien, trabalharam sobre a trilha de apoio do novo álbum. Logo a seguir, foram aos Plant Studios em Sausalito, para gravar junto com Polo Jones no baixo e Zach Alford na bateria. Aqui, um dos destaques foi uma aparição pela lenda do blues John Lee Hooker; infelizmente, este seria uma das últimas apresentações com a sua participação. Da Califórnia, Zucchero regressou à Itália para completar as gravações nos Umbi Studios em Rovigo, e depois disso foi aos estúdios de gravação Real World, de Peter Gabriel, na Inglaterra, para fazer a mixagem do álbum com o engenheiro de mixagem do U2, Richard Rainey, e finalmente foi fazer a cópia mestre nos estúdios Metrópolis, em Londres, Inglaterra.

O álbum de sucesso internacional lançado por Zucchero em 2004, “Zu & Co.”, apresentou duetos com muitos grandes nomes da música, como por exemplo Miles Davis, Paul Young, Ronan Keating, Sheryl Crow, The Cranberries, Dolores O’Riordan, B.B. King, John Lee Hooker, Maná, Brian May, e Solomon Burke. O lançamento internacional deste álbum aconteceu na Royal Albert Hall, em Londres, Inglaterra, com um evento especial. Este álbum vendeu milhões de cópias em toda Europa e no resto do mundo.

O próximo disco a ser lançado, em setembro de 2006, recebeu o nome de “Fly”. Produzido por Don Was, incorporou os compactos simples “Bacco perbacco“, “Cuba Libre” e “Occhi”, trazendo ainda colaborações de artistas como Ivano Fossati e Jovanotti. A faixa “L’amore è nell’aria” (“Amor está no Ar”) empresta o apoio instrumental do lado B “Broken” pela banda britânica de rock Feeder, mas é de fato uma nova gravação com base no original do grupo Feeder, e não uma amostra tirada diretamente da gravação.

Em 2009, após o terrível terremoto que arrasou a cidade de L’Aquila, na Itália Central, no dia 24 de abril, Zucchero e outros importantes artistas italianos se uniram para gravar um compacto simples sob o nome de “Domani 21-04-09” (Amanhã 21-04-09). Todo o dinheiro arrecadado foi doado para a reconstrução e restauração da Academia de Música “Alfredo Casella” e o Teatro Stabile de Abruzzo, na cidade de L’Aquila. Em 2009 também excursionou pela Austrália pela primeira vez.

Em novembro de 2010, houve o lançamento de ‘Chocabeck’, que já é considerado como um dos melhores álbuns já compostos por Zucchero. Gravado em todo o mundo, inclusive com aparições em Los Angeles, Bolgheri (Itália) e Londres, este álbum apresenta produções de alguns dos músicos mais conhecidos do mundo, como Don Was (The Rolling Stones, Bob Dylan, e Roy Orbison) e Brendan O’Brien (AC/DC, Bruce Springsteen, Pearl Jam). Mais produções de Jon Hopkins e Davide Rossi, que estavam por trás do último disco, extremamente bem recebido, do grupo Coldplay (Viva la Vida). Incluindo algumas das letras mais cativantes e emocionantes do Zucchero, conseguiu também obter a assistência dos seus bons amigos Bono (que escreveu a letra da música ‘Someone Else’s Tears’ ((Il Suono Della Domenica)) e Brian Wilson (que gravou os vocais de apoio para a faixa-título). Com este novo disco, Zucchero abre um novo capítulo na sua carreira ilustre e cobiçada.

Em 2011, Zucchero realizou sua famosa e bem recebida excursão mundial ‘Chocabeck World Tour’, na qual ele se apresentou com mais de uma centena de shows na Europa, na América do Norte e na América Latina.

Em 2015, foi convidado por Bono a participar do show da banda U2 na Pala Alpitour em Turim. Naquela ocasião, Zucchero cantou “I Still Have not Found What I’m Looking For” junto com a banda U2, e depois compareceu, como convidado, a uma apresentação de Alejandro Sanz na Barclaycard Centre em Madri, onde acabou cantando “Un Zombie A La Intemperie” e “Baila Morena”. Depois deixou os Estados Unidos, para gravar seu novo disco, Black Cat (Universal Music), lançado em abril de 2016. O lançamento foi seguido por uma turnê nas principais cidades da Europa e em 2017 chega ao Brasil.

Lista de Músicas:

1. Partigiano Reggiano

2. 13 Buone Ragioni

3. Ti Voglio Sposare

4. Streets Of Surrender (S.O.S) – feat. Mark Knopfler,

5. Ten More Days

6. L’Anno Dell’Amore

7. Hey Lord

8. Fatti Di Sogni

9. La Tortura Della Luna

10. Turn the world down

11. Terra Incognita

12. Voci (Namanama version)

13. Ci Si Arrende” – com a participação de Mark Knopfler.

Classificação: Livre
Duração: 90min

ZUCCHERO NA TURNÊ BLACK CAT
Dia 26 de outubro, no Teatro Bradesco Rio (Rio de Janeiro/RJ)
Dia 27 de outubro, no Teatro Bradesco (São Paulo/SP)
Dia 28 de outubro, no Teatro do Bourbon Country (Porto Alegre/RS)

RIO DE JANEIRO (RJ)
Dia 26 de outubro
Quinta-feira, às 21h
Teatro Bradesco Rio (Avenida das Américas, 3900 – loja 160 do Shopping VillageMall – Barra da Tijuca)
www.teatrobradescorio.com.br

SÃO PAULO (SP)
Dia 27 de outubro
Sexta-feira, às 21h
Teatro Bradesco (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping São Paulo)
www.teatrobradesco.com.br

PORTO ALEGRE (RS)
Dia 28 de outubro
Sábado, às 21h
Teatro do Bourbon Country
 (Av. Túlio de Rose, 80 / 2º andar – Shopping Bourbon Country)
www.teatrodobourboncountry.com.br

Foto: Divulgação

 

Deixe seu comentário

To Top